Você está aqui: VB.NET ::: Windows Forms ::: TextBox

Entendendo a classe TextBox

Quantidade de visualizações: 19717 vezes


A classe TextBox representa um controle do tipo caixa de texto. Veja sua posição na hierarquia de classes .NET:
System.Object 
  System.MarshalByRefObject 
    System.ComponentModel.Component 
      System.Windows.Forms.Control 
         System.Windows.Forms.TextBoxBase 
           System.Windows.Forms.TextBox
Subclasses conhecidas da classe TextBox são: System.Windows.Forms.DataGridTextBox e System.Windows.Forms.DataGridViewTextBoxEditingControl.

O controle TextBox é usado para permitir a entrada de texto em uma aplicação. Este controle possui funcionalidade adicional não encontrada no controle text box do Windows, incluindo a edição de múltiplas linhas e máscara de caracteres.

Geralmente, um controle TextBox é usado para exibir, ou aceitar como entrada, uma única linha de texto. Podemos usar as propriedades Multiline e ScrollBars para habilitar a exibição ou entrada de múltiplas linhas de texto. Altere as propriedades AcceptsTab (permitir Tab) and AcceptsReturn (permitir Enter) para possibilitar um maior controle na manipulação de texto em um TextBox de múltiplas linhas.

Podemos limitar a quantidade de texto que pode ser digitado em um controle TextBox definindo um valor inteiro para a propriedade MaxLength. Controles TextBox podem também ser usados para receber senhas ou outras informações sigilosas. Podemos usar a propriedade PasswordChar para definir a máscara de caracteres em um TextBox de linha única. Podemos ainda usar a propriedade CharacterCasing para permitir que o usuário digite apenas caracteres maiúsculos (Upper), minúsculos (Lower) ou uma combinação destes (Normal).

Para restringir a digitação de texto em um controle TextBox, podemos criar um gerenciador de evento para o evento KeyDown e validar cada caractere digitado no controle. Podemos também fazer com que o controle seja somente leitura definindo o valor True para a propriedade ReadOnly.

Link para compartilhar na Internet ou com seus amigos:

C ::: Desafios e Lista de Exercícios Resolvidos ::: Estruturas de Controle

Exercício Resolvido de C - Como testar se um ano é bissexto em C - Um programa que lê um ano com quatro dígitos e informa se ele é bissexto ou não

Quantidade de visualizações: 641 vezes
Pergunta/Tarefa:

Chama-se ano bissexto o ano ao qual é acrescentado um dia extra, ficando ele com 366 dias, um dia a mais do que os anos normais de 365 dias, ocorrendo a cada quatro anos (exceto anos múltiplos de 100 que não são múltiplos de 400). Isto é feito com o objetivo de manter o calendário anual ajustado com a translação da Terra e com os eventos sazonais relacionados às estações do ano. O último ano bissexto foi 2012 e o próximo será 2016.

Um ano é bissexto se ele for divisível por 4 mas não por 100, ou se for divisível por 400.

Escreva um programa C que pede ao usuário um ano com quatro dígitos e informa se ele é bissexto ou não.

Sua saída deverá ser parecida com:

Informe o ano: 2024
O ano informado é bissexto.
Resposta/Solução:

Veja a resolução comentada deste exercício usando C console:

#include <stdio.h>
#include <stdlib.h>
#include <locale.h>
  
int main(int argc, char *argv[]){
  int ano;
	
  setlocale(LC_ALL,""); // para acentos do português
  
  // vamos solicitar que o usuário informe um ano
  printf("Informe o ano: ");
  scanf("%d", &ano);
	
  // vamos verificar se o ano informado é bissexto
......



Java ::: Dicas & Truques ::: Programação Orientada a Objetos

Programação orientada a objetos em Java - Java OOP - Como usar variáveis estáticas em suas classes Java

Quantidade de visualizações: 11660 vezes
Variáveis estáticas podem ser definidas em Java por meio do uso da palavra-chave static. Uma variável estática pertence à classe na qual ela é definida e não à cada uma de suas instâncias. Pareceu confuso? Você pode pensar assim: quando definida com o modificador static, uma variável será única na classe, não importa a quantidade de instâncias da classe que serão criadas. Cada uma destas instâncias compartilhará o valor da variável estática.

Além disso, uma variável estática pode ser acessada por meio do nome da classe, sem a necessidade de uma referência a uma de suas instâncias. Uma variável estática pode ser public, private ou protected.

Vamos ver um exemplo? Considere a situação na qual gostaríamos de criar um identificador único para cada um dos objetos de uma classe. Veja o código para a classe Livro:

Código para Livro.java:

package estudos;

public class Livro {
  // variáveis privadas
  private String titulo; // título do livro
  // variável estática que permitirá definir um
  // identificador único para cada livro
  private static int id;

  // construtor da classe Livro
  public Livro(){
    // vamos incrementar a variável estática
    Livro.id++;
  }
......


Veja agora como criar três objetos da classe Livro a partir do método main() da aplicação:

Código para Main.java:

package estudos;

public class Main {
  public static void main(String[] args) {
    // vamos criar um objeto da classe Livro
    Livro a = new Livro();
    a.setTitulo("Programando em Java 2");

    // vamos exibir os dados do livro
    System.out.println("Id: " + a.getId());
    System.out.println("Titulo: " + a.getTitulo());

    // vamos criar mais um livro
    Livro b = new Livro();
    b.setTitulo("A biblia do C/C++");
......


Ao executar esta aplicação teremos o seguinte resultado:

Id: 1
Titulo: Programando em Java 2
Id: 2
Titulo: A biblia do C/C++
Id: 3
Titulo: PHP + MySQL

Como podemos ver, a cada instância criada a variável id é incrementada em 1. Caso você não tenha entendido todo o processo, este incremento acontece no construtor da classe Livro. Veja:

// vamos incrementar a variável estática
Livro.id++;

Nas situações em que as variáveis estáticas são públicas, podemos acessá-la usando o nome da classe seguida de um ponto. Assim, se a variável id fosse pública, poderíamos acessá-la de qualquer lugar de nossa aplicação da seguinte forma:

System.out.println(Livro.id);


Delphi ::: Dicas & Truques ::: Recursão (Recursividade)

Como usar recursividade em Delphi - Como usar recursão ou funções recursivas em Delphi

Quantidade de visualizações: 14976 vezes
Recursão ou recursividade é a habilidade que uma procedure ou function (função) possui de chamar a si própria uma vez, várias, indefinidamente ou até que a solução do problema a ser resolvido seja encontrada. Assim, podemos definir uma função recursiva (aqui uma procedure recursiva) em Delphi da seguinte forma (atenção: não execute este código):

// uma procedure recursiva
procedure Recursiva;
begin
  // chama a si própria
  Recursiva;
end;

// vamos chamar a procedure pela primeira vez
......


O fato de eu pedir para que você não execute o código é que, uma vez clicado o botão, a procedure Recursiva será chamada e continuará chamando a si mesma até que a pilha do sistema estoure, ou seja, como funções recursivas são implementadas usando a pilha do sistema operacional e não na área de memória destinada a cada aplicativo o resultado será um travamento do programa, e, caso não estejamos com sorte, um travamento do sistema operacional. Sabedor do risco, clique no botão para ver o resultado você mesmo.

O que devemos saber a respeito das funções recursivas é que estas precisam saber o ponto de parada, de forma a evitar chamadas infinitas. Como exemplo, veja uma procedure recursiva que conta de 0 até 10. Note como cada chamada verifica se já é hora de interromper a cadeia:

// uma procedure recursiva que conta de 0 até 10
procedure Contar(valor: Integer);
begin
  // vamos exibir o valor atual
  ShowMessage(IntToStr(valor));

  // é hora de parar?
  if valor = 10 then
    ShowMessage('Terminei')
  else
    begin
      // chama a si própria (note que aumentamos o valor atual em 1)
......


Execute este código e veja o resultado. Observe que a cada chamada recursiva nós incrementamos a variável de controle. Ela é a responsável por evitar que chamadas infinitas sejam feitas.

Para fins de compatibilidade, esta dica foi escrita usando Delphi 2009.


C# ::: Dicas & Truques ::: Tipos de Dados

Como usar os tipos de dados byte e sbyte da linguagem C#

Quantidade de visualizações: 14739 vezes
O tipo de dados byte é usado quando queremos armazenar valores inteiros na faixa de 0 a 255, ou seja, valores inteiros apenas positivos. Veja um exemplo de declaração e definição de uma variável deste tipo:

// uma variável do tipo byte
......


O tipo byte (que possui 8 bits não sinalizados) é um apelido C# para o tipo System.Byte da plataforma .NET. Note que quando inicializamos uma variável do tipo byte com um literal inteiro, este valor é convertido implicitamente de int para byte. Se o valor sendo definido for maior que a faixa permitida, o programa não compilará. Veja:

// valor fora da faixa suportada pelo tipo byte
......


Ao tentarmos compilar esta linha teremos o seguinte erro:

Constant value '290' cannot be converted to a 'byte'
......


Quando se trata de conversões implícitas, um valor do tipo byte pode ser convertido, sem a necessidade de cast, para os tipos short, ushort, int, uint, long, ulong, float, double ou decimal. Veja:

// variável do tipo byte
byte valor = 28;

......


O caminho oposto não é verdade, ou seja, não é possível atribuir uma variável do tipo short à uma variável do tipo byte. Veja:

// variável do tipo short
short valor = 50;

// variável do tipo byte
byte valor2 = valor;

// mensagem de erro de compilação
......


Esta conversão não é possível, ainda que o valor contido na variável do tipo short esteja na faixa aceitável pelo tipo byte. Neste caso, um cast (conversão explícita) se faz necessário:

// variável do tipo short
short valor = 50;

......


Resumindo, nenhum outro tipo de dados em C# pode ser convertido para o tipo byte implicitamente. Se quiser fazê-lo, use uma conversão explícita (cast).

O tipo sbyte, por sua vez, pode armazenar valores inteiros na faixa de -128 até 127 e possui 8 bits sinalizados. Este tipo é um apelido C# para o tipo de dados System.SByte da plataforma .NET. Veja um exemplo de seu uso:

static void Main(string[] args){
  // variável do tipo sbyte
  sbyte valor = -45;

  // exibe o resultado
......


Note que, a exemplo de byte, o tipo sbyte também é governado por algumas regras de conversão e atribuição de valores literais. Há uma conversão implícita de sbyte para os tipos short, int, long, float, double e decimal. A conversão de qualquer outro tipo de dados para o tipo sbyte só pode ser feita por meio de cast (conversão explícita).


Delphi ::: Dicas & Truques ::: Arquivos e Diretórios

Como verificar se um arquivo existe usando a função FileExists() da unit SysUtils do Delphi

Quantidade de visualizações: 19518 vezes
Quando estamos trabalhando com arquivos, é sempre uma boa idéia checar se um arquivo já existe antes de permitir que nosso código tente criar outro arquivo com o mesmo nome. Em Delphi a existência de um arquivo pode ser verificada por meio do uso da função FileExists(), na unit SysUtils. Esta função recebe o caminho e nome do arquivo e retorna true se ele existir, e false caso contrário.

Veja um trecho de código no qual testamos se um determinado aqui já existe no sistema:

procedure TForm1.Button1Click(Sender: TObject);
var
  arquivo: string;
begin
  // diretorio e nome do arquivo
  arquivo := 'C:\arquivo de codigos\dados.txt';

  // vamos verificar se o arquivo existe no caminho especificado
......


Para fins de compatibilidade, esta dica foi escrita usando Delphi 2009.


Desafios, Exercícios e Algoritmos Resolvidos de Delphi

Veja mais Dicas e truques de Delphi

Dicas e truques de outras linguagens

Códigos Fonte

Programa de Gestão Financeira Controle de Contas a Pagar e a Receber com Cadastro de Clientes e FornecedoresSoftware de Gestão Financeira com código fonte em PHP, MySQL, Bootstrap, jQuery - Inclui cadastro de clientes, fornecedores e ticket de atendimento
Diga adeus às planilhas do Excel e tenha 100% de controle sobre suas contas a pagar e a receber, gestão de receitas e despesas, cadastro de clientes e fornecedores com fotos e histórico de atendimentos. Código fonte completo e funcional, com instruções para instalação e configuração do banco de dados MySQL. Fácil de modificar e adicionar novas funcionalidades. Clique aqui e saiba mais
Controle de Estoque completo com código fonte em PHP, MySQL, Bootstrap, jQuery - 100% funcional e fácil de modificar e implementar novas funcionalidadesControle de Estoque completo com código fonte em PHP, MySQL, Bootstrap, jQuery - 100% funcional e fácil de modificar e implementar novas funcionalidades
Tenha o seu próprio sistema de controle de estoque web. com cadastro de produtos, categorias, fornecedores, entradas e saídas de produtos, com relatórios por data, margem de lucro e muito mais. Código simples e fácil de modificar. Acompanha instruções para instalação e criação do banco de dados MySQL. Clique aqui e saiba mais

Linguagens Mais Populares

1º lugar: Java
2º lugar: Python
3º lugar: C#
4º lugar: PHP
5º lugar: Delphi
6º lugar: C
7º lugar: JavaScript
8º lugar: C++
9º lugar: VB.NET
10º lugar: Ruby



© 2024 Arquivo de Códigos - Todos os direitos reservados
Neste momento há 16 usuários muito felizes estudando em nosso site.